sexta-feira, 28 de junho de 2013

Ao fim do dia, o que me resta

Sim, nós acreditamos em milagres, e mais, vemos todas as sextas pequenos milagres, que mesmo em todas as suas dores e dificuldades da vida, nós deixam entrar em seus pequenos mundo invadidos de pessoas e somos recebidos com grande sorrisos no rosto e toda a generosidade que o mundo pode oferecer. Pequenos milagres que cantam conosco, mesmo quando a voz custa a sair da boca, que dançam com os olhos, que ficam tímidos mas não se assusta por isso, que querem a cima de tudo a felicidade. 
Na manhã de todas as sextas feiras, como hoje, que não foi diferente, junto todas as energias boas que posso encontrar no caminho, levo meu corpo cheio de tudo que posso oferecer e eu sei que todos eles querem tudo que podem receber. Sair de lá com o corpo desgastado, cansado, fraco de energia, é o que me faz feliz, já que sei que se estou assim é por que estou no caminho certo.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Choros e risos: é só alegria.

Postar alguma coisa, me pediram para fazer.
Postar o que? Pergunto eu.
Bom, postar aquilo que queira compartilhar.
Tá bom.
Lá vai.
21/06/2013
Entre choros e dores chegamos. Mas logo tudo virou uma festa. Uma cantação de músicas que não se sabe a letra foi demais, e foi demais, demais né? Alecrim tinha um monte, patatipatatá também, até galinha pintada. O bom é que tinha para todos os gostos. Para quem gosta de um tipo de música só.
Tinha até personagem de novela assistindo um show, tenha também, pessoas de ficção. Pois é! Pois é! Pois é!!!
Ficar parado olhando, também faz parte.
Faz magica também.
E ser perseguido pelo olhar também.
Tudo vale!
Menos aquilo que não vale!
Alguns dava super atenção, outros nem tanto (perdemos para TV, mas tudo bem), mesmo assim todos entraram num jogo, jogado por todos, inclusive a vozinha que me tirou, hehehehehehe.
Focos e mais focos, algo novo a cada momento. Às vezes não, mas a gente releva, transforma a situação e arranca um sorriso da alma.
Corredor também é quarto ou deveria ser ou é e a gente é que não sabe. Jogando no corredor, sempre acontece algo, hehehehehe. Ganhei café, achei me mãe, que por sinal é muito parecida comigo.
Ah, encontramos com a Fofinha, que tinha outro nome, que ela mesma fala seu nome, mas era a Fofinha da mamãe.
Vimos também, o sorriso, pois só tinha sorriso no menino, nada mais. Era um sorriso ambulante. O sorriso era maior que o menino inteiro, da cabeça ao pé.
Foi difícil e foi fácil.
Até os ETs sorriram um pouco. Até a De Novo conversou de novo com a gente. (Comigo foi a primeira vez que a De Novo conversou, mas a gente finge que é de novo).
Antes de ir embora, passa,os por ali e hora, poxa vida! Chamaram a gente para comer. Nós não recusamos por educação, claro!
Ganhamos canjicada, bolo e pão.
Eu como não sou bobo, ganhei 2 de cada, para a viagem, é claro! Pois não sou guloso.
Disco voador nos espera.
Voemos de volta para casa.
Assim aterrizamos em casa em segurança.
Fim de um muito bom.
Bom para você que só leu e não foi, porque eu fiquei cansado, por isso tive que comer em dobro. Coisa que eu não gosto de fazer, hehehehehehehehe.
Aqui acaba a postagem.
Missão cumprida?!!!!
Acho que sim.
SóBrawn (Deivid)

terça-feira, 11 de junho de 2013

Um salto no vazio...Mas torcendo pra q ele esteja cheio de sorvete!

Depois de uma pausa de quase um mês (férias da universidade,depois de um inverno tenebroso de reflexo de greve), retomamos nessa ultima sexta feira(07/06) às nossas visitas ao HC da Ufu.
 
" Meio dia e nada do disco voador chegar, todos (quase todos) esperando...Lilo (meu Ukulele) tocando Hakuna Matata - Os seus problemas, você deve esquecer..isso é viver é aprendeeeerr....- e nada do disco voador chegar....foi-se  em busca do telefone da empresa de transporte espacial e nadaaa....mas ...pra alivio geral e já às 12:30 o nosso ET Guia (motorista) chegaa...todos adentram e partimos rumo ao hospital.
É impressionante como mesmo sem estar de nariz( o vermelho, fique claro..rs) parece q ele já está ali desde a porta,mas tenho q me controlar ao passar por uma obra de arte  de madeira que tem logo na entrada,que alguns dizem ser cocô e outros mais poéticos dizem ser uma barata...todos se trocam....depois de algum tempo a imagem volta pro espelho...a roupa a maquiagem ganham vida...a energia está ali....
O caminho até a pediatria é um prato cheio de galinhas (Segue a Linha) pretas,verdes e vermelhas..encontro amigos médicos pelo caminho, pessoas desconhecidas,conhecidas e esquisitas tbm.
Vilma: Quem é a enfermeira chefe? - Eu,respondem
V- Algum quarto que não podemos entrar? - o 230, respondem
SIM SENHORA CAPITÃO, respondo

Nós pra direita (Nocciolina e Chuvisca e Adriel ) e vocês pra Esquerda ( Florisbela e Bãfi) ou o contrário.
O fato é q ficar esse tempo sem ir ao hospital deu uma enferrujada..os jogos foram mais tímidos e comportados...estávamos redescobrindo aquele espaço de novo, reconhecendo aquelas crianças (a maioria nunca tínhamos visto, graças a Deus..sinal q as outras já estavam bem e em casa).

Então é isso tempo de redescoberta...de si,do outro, do espaço 

E às vezes o jogo se dá no silêncio ali, olhando pra criança abaixada ao lado da cama sem nenhuma palavra ser dita,olhos nos olhos...na base da confiança...seja ela em acreditar q estávamos seguras ali com ela e ela com a gente.

Segue vídeo registro feito pelo celular do nosso acompanhante assistente de palco Adriel Parreira que foi para nos observar juntamente com a prof. Vilma

video
Ganhamos bolo,café e leite...palhaço feliz é palhaço de barriga cheia de sorrisos e comida :D "

Agradecida 

Chuvisca sobre dia 07/06/2013